Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]


tradutor

Google-Translate-ChineseGoogle-Translate-Portuguese to FrenchGoogle-Translate-Portuguese to GermanGoogle-Translate-Portuguese to ItalianGoogle-Translate-Portuguese to JapaneseGoogle-Translate-Portuguese to EnglishGoogle-Translate-Portuguese to RussianGoogle-Translate-Portuguese to Spanish


almost ...

por nans, em 25.10.12

Está a chegar aquele dia em que me torno um ano mais velha e que, por norma, peço livros e filmes como prendas.

Ontem a minha irmã perguntou-me o que queria receber este ano e eu não soube o que responder. Os livros que quero têm vindo parar à estante de graça e filmes são um assunto complicado, visto que não sei se terei uma televisão onde os ver (no Reino Unido é necessário pagar um imposto para ter televisão). 

Hoje meti-me a pensar no assunto, sabem, num daqueles momentos em que estamos a fazer algo automático e a mente começa a divagar.

Tive a sorte de ter uns pais fantásticos e nunca me faltou nada ... e ainda hoje é assim. A verdade é que não me falta nada em termos materiais.

Mas depois tenho aquele sentimento de culpa ao olhar para uma velha fotografia que tenho com os meus avós. É uma velha moldura, com uma foto de quando era ainda bebé, ladeada pelos meus avós. Foi das poucas coisas de que me apropriei quando o meu tio renovou a casa deles e é um dos itens que pretendo levar para a minha nova casa.

E no meio disto tudo apercebo-me que não tenho nenhuma foto com os meus pais ou com a minha irmã ... nada concreto deles para levar. Não é pela falta de fotos, nem é essa a questão. São as recordações. Aquela moldura até podia ter a fotografia do Papa, mas são as recordações que vem com ela. 

Por exemplo, eu adoro o Elmo. Sim aquele fantoche vermelho da Rua Sésamo. E este ano quando fui a Londres, encontrei, finalmente, um peluche do Elmo, que trouxe comigo para Portugal. Desde esse dia o Elmo tornou-se a mascote das minhas aventuras relacionadas com os Simple Plan, porque o intuito da viagem a Londres foi ir a um concerto deles. Mas nunca me passaria pela cabeça embarcar numa aventura relacionada com os Simple Plan com outra pessoa que não a Sofia e levar o Elmo comigo. Simple Plan, Sofia, Elmo ... ou isso vai tudo junto, ou não há nada para ninguém.

Eu funciono assim e já fui muitas vezes criticada por me apegar demasiado as coisa, mas não consigo evitar ... associo memórias a objectos. Eu sou capaz de guardar o item mais estúpido só porque me lembra um determinado momento da minha vida.

E tudo isto para dizer que este ano, como prenda de aniversário, não irei pedir livros ou filmes, mas recordações. Algo para o qual eu olhe e pense "foi X pessoa que me deu" e depois sorria e me lembre das coisas mais estúpidas e hilariantes que vivi com essa pessoa. Como o Elmo!

Autoria e outros dados (tags, etc)




Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D